Assumo: eu sou muito influenciada pelo meio. Ainda mais quando o meio me prega surpresas boas, faz um afago, me lembra que tem algo bom em viver.

Acho que o que faz o dia-após-o-outro se tornar suportável é apenas isso: a possibilidade de nos vermos em situações não planejadas. Nada é mais irritante e tedioso que a falta de surpresas (sejam boas ou ruins).

Achei que ia ser só mais uma conversa triste, mas não. Se desdobrou em mil pedaços, um cheirinho bom de lembrança, carinhos em forma de detalhes. Muito mais do que eu esperava, muito mais do que merece alguém que não espera nada.

Curar, não cura, mas me fez esquecer (ainda que por alguns momentos) daquela minha dor.


4 Comments

Paula disse...

Se você estiver falando do assunto que eu estou pensado que você está....que surpresa, pensei que já tinha ficado pra trás.
Um beijo querida, adorei ver você no domingo!

Vivian Pereira disse...

é o mesmo assunto, mas sob outra perspectiva...
nem tudo fica assim 'pra trás' sabe ?

Paula disse...

Eu sei... e acho que precisamos marcar um O'Maylleys pra você me explicar direitinha "a quantas anda" o caso.

Vivian Pereira disse...

só me chamar que eu vou!
sou facinha!

Tecnologia do Blogger.